5 Dicas de Ouro para Aplicar Fertilizantes com Total Sucesso

5 Dicas de Ouro para Aplicar Fertilizantes com Total Sucesso

Tempo de leitura: 6 minutos

Quando falamos em produção agrícola, muitos elementos exercem influência sob sua produtividade, caso do clima, irrigação e qualidade da semente. Mas o fator que tem relação direta com a produtividade é a eficiência do uso de fertilizantes.

Os fertilizantes são utilizados na agricultura há muito tempo elevando significativamente a produção agrícola, tanto que atualmente respondem por 50% da produção mundial dos alimentos. Sem fertilizantes faltaria alimento para o planeta.

Entretanto, muitos agricultores ainda não aplicam os fertilizantes da forma correta, influenciando negativamente na produtividade da agricultura.

Para contribuir com o agricultor, apresentamos as 5 dicas de ouro para que a aplicação dos fertilizantes seja feita da forma mais correta possível, contribuindo positivamente com a elevação da produtividade.

Dica 1: Faça amostragem e análise do solo

Para seu pleno desenvolvimento, a planta necessita de diversos nutrientes, estes geralmente são ofertados pelo solo. Porém, nenhum solo oferece todos os nutrientes nas quantidades necessárias para cada estágio da planta. Por isso, para suprir essa necessidade faz-se a aplicação dos fertilizantes em doses adequadas.

Mas como definir qual a quantidade e o tipo de fertilizantes necessários? Daí a importância de se fazer uma eficiente amostragem e análise do solo. Com essa medida o produtor pode conhecer a quantidade e o tipo de nutrientes a serem aplicados no solo.

Dessa forma, quando bem realizadas e corretamente interpretadas, as amostragens/análises do solo irão contribuir com melhores recomendações de corretivos e fertilizantes, possibilitando determinar a quantidade de adubo e a fórmula correta do fertilizante a ser utilizado, evitando falta ou excesso de aplicação destes produtos.

Dica 2: Defina a melhor forma de aplicação dos fertilizantes

Uma vez realizada a análise do solo e determinada as necessidades das plantas, é chegada a hora da adubação propriamente dita. Várias são as técnicas e estratégias de aplicação possíveis, estas irão depender do maquinário disponível, do tipo de fertilizante utilizado e do momento em que será feita a adubação.

Basicamente, 4 são as formas de aplicação mais importantes:

Aplicação por semeadura: Aplicado em conjunto com a operação de plantio, sendo depositado no solo pouco abaixo das sementes.

Nessa técnica quando a semente é aplicada no solo, ele já tem disponível os nutrientes necessários, o que permite um desenvolvimento mais rápido na fase inicial. Ideal para fertilizantes químicos e granulados.

Adubação a lanço: O fertilizante é depositado em discos giratórios com pás, que espalham o produto na lavoura em uma faixa predeterminada. Apresenta alto rendimento na operação, oferecendo a possibilidade de parcelar a aplicação durante os estágios de desenvolvimento da planta.

Essa técnica é ideal para fertilizantes químicos e granulados, além dos orgânicos e produtos em pó destinados à correção do solo (como calcário e gesso);

Aplicação por irrigação: Também conhecida como fertirrigação, consiste na diluição de uma fórmula líquida, a qual é aplicada na lavoura por meio da irrigação.

Adubação por pulverização: Uma diluição do fertilizante é feita em água e aplicada sobre a lavoura por meio do pulverizador, como se fosse uma cauda calda de defensivo químico (agrotóxico). Vale lembrar que fertilizantes e agrotóxicos não são a mesma coisa, como já explicamos aqui

Ainda é pouco difundida, mas é ideal para o uso de fertilizantes foliares, também diluídos.

Dica 3: Pondere o parcelamento de nutrientes

Dependendo da cultura, os nutrientes são extraídos do solo em diferentes quantidades ao longo do estágio de vida da planta.

Por essa razão, o parcelamento de aplicação das doses de fertilizantes ao longo do ciclo de vida da cultura torna-se uma técnica de suma importância, principalmente no uso de fertilizantes nitrogenados.

O parcelamento da adubação varia de acordo com as necessidades da cultura e do clima sendo uma das práticas de manejo mais recomendadas para aumentar a eficiência dos fertilizantes.

A técnica de parcelamento também deve ser baseada nas características do solo, visto que solos mais arenosos costumam precisar de parcelamento para que não perca todo o nitrogênio.

Também deve ficar claro que a época (estágio da planta) em que os fertilizantes são aplicados reflete diretamente nos custos e na produtividade da cultura. Veja o exemplo do milho:

Estudos indicam que a maior quantidade de nitrogênio nesta cultura é absorvida até o florescimento. Portanto, o mais recomendado é fazer a maior parte da adubação de nitrogênio até o florescimento, pois isso garantirá maior produtividade à cultura.

Outro exemplo é da cultura do café. Grande parte do crescimento vegetativo de um cafeeiro ocorre concomitantemente com a fase de produção de frutos, em razão disso, essa fase necessita de maior demanda por nutrientes.

Dica 4: busque identificar as deficiências da planta

Além da análise do solo, é importante que o produtor esteja sempre atento às características e sintomas que sugerem possíveis deficiências diretamente nas plantas, principalmente em suas folhas. A imagem a seguir apresenta o aspecto de algumas dessas deficiências.

Imagem: blog.aegro.com.br/planejamento-agricola-fertilizantes/

Caso esses sintomas sejam presenciados, algo não está acontecendo como devia, ou seja, a aplicação dos fertilizantes pode estar na dosagem errada ou está ocorrendo na época/estágio da planta errados. Também pode ocorrer antagonismo entre alguns nutrientes, que precisa ser identificado.

Essa medida, quando bem monitorada, auxiliará na correção da deficiência nesta safra e na prevenção das safras seguintes.

Dica 5: Use a tecnologia a seu favor

A Agricultura 4.0 já invadiu a agricultura já faz algum tempo, sendo essa uma das 4 medidas que elevam a produtividade agrícola. E é claro que a aplicação de fertilizantes também se beneficiará do avanço tecnológico.

Com o uso de modernos equipamentos e máquinas agrícolas, a tecnologia contribuirá em todas as etapas, como a análise/amostragem do solo, coleta de dados meteorológicos e aplicação de fertilizantes de uma forma muito mais eficaz, precisa e econômica.

Por fim, a tecnologia possibilitará o acompanhamento da lavoura em tempo real, trazendo a segurança de que a operação está ocorrendo conforme o que foi previamente planejado.

Para saber mais sobre fertilizantes e técnicas de fertilização, continue acompanhando nosso blog. Veja também nosso novo catálogo de fertilizantes

Deixe seu comentário aqui